Na minha época...

Eu tenho pensado muito nos meus pais ultimamente. Sabe aquele negocio de "quando eu tinha a sua idade..."? Então. Quando eles tinham a minha idade, estavam noivos, juntando trocados e móveis pra casar. Eles tinham um carro e um emprego. A vida era mais certa.
Eu sei, são gerações diferentes. E acreditem, não quero comprar realidades aqui. Minha questão apenas é: eles não tinham dúvida? Meus pais sempre fizeram esse negócio de ser adulto parecer tão fácil que cresci crendo que tinha um manual pronto, algum aplicativo que eu faria download automaticamente pra saber todas as respostas.
Mas estou quase com 24 anos e sinto que não sei de nada. Tenho planos e sonhos, mas eles as vezes me parecem infantis. Não tenho nada pra chamar de meu, nenhuma dessas conquistas que te classifica como adulta. Quando penso em morar sozinha, bate aquela vontade misturada ao desespero. Quero crescer - mas não sei como. Ninguém me ensinou.
Não sei o que separa a minha realidade da que os meus paia viveram. Talvez eles tivessem que amadurecer mais cedo. Talvez as escolhas limitadas tornassem o cenário mais realista. Quem sabe a mesma liberdade de poder sem quem eu quiser hoje seja o que me prende sem que eu saiba. Sei que é assustador. E me pergunto se não era assim pra eles também.
Não sei onde essa minha crise vai parar. Gosto de acreditar que um dia eu terei as respostas pra tudo. Mais que isso, gosto de acreditar que, se um dia tiver um filho ou alguém pra passar o que aprendi, eu possa contar isso a eles, essa única verdade que eu queria que meus país tivessem me contado: não tem manual. Não tem certo e errado. Tem você e a vida é o agora é o futuro. E as respostas... Você vai ter que descobrir sozinha.

Um comentário:

  1. Oiiii Larissa, tudo bem???
    Super me identifiquei com o texto. Apesar de já ter casa, marido....
    Mas sabe que não me considero adulta?
    Quero dizer, eu faço coisas de adulto.
    Vou a faculdade, trabalho, tenho vários projetos profissionais, já publiquei alguns livros, transo, pago minhas contas, recebo visitas na minha própria casa, limpo, lavo, ...
    mas ainda assim não me sinto adulta.
    Nunca senti.
    Vi minhas irmas mais velhas virando mulheres e eu ainda igual a uma garotinha.
    Me falaram que quando eu fizesse 15 anos, iria ver as coisas de forma diferente.
    Nada mudou.
    Me disseram que aos 18 tudo mudaria.
    Continuei na mesma.
    Me prometeram que quando eu casasse, seria inegavelmente adulta.
    Mas ainda me sinto uma pirralha.
    Ainda faço coisa de adolescente.
    Ainda assisto desenhos.
    Ainda tenho inúmeras indecisões.
    Ainda crio problemas e desejo que alguém resolva.
    Já levo a toalha para o banho, mas as vezes, quando o negócio aperta de verdade, ainda grito: "manhêêêêê"

    Beijooooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Larissa Siriani | Copyright © Design por Naiare Crastt • Mantido pelo Blogger